NOTÍCIAS - pista

Data de Publicação: 02/08/2015.

Omnium e Scratch marcam as disputas no quarto dia do Campeonato Brasileiro de Ciclismo de Pista - Elite 2015

Robson Ribeiro e Daniela Lionço confirmaram o bom desempenho e foram uns dos destaques do penúltimo dia de competições no Velódromo de Maringá


Robson Ribeiro - Campeão da OmniumCrédito: Thiago Lemos/CBC
A Omnium é uma prova de ciclismo de pista para poucos. Afinal é uma disputa longa, que dura dois dias, envolve seis tipos de corrida e exige não apenas um preparo físico redobrado, mas também uma versatilidade muito grande do ciclista para manter a regularidade e um alto nível de competitividade em todas as provas. Por conta de tantos desafios a serem superados a disputa foi uma das que mais intrigaram no quarto dia do Campeonato Brasileiro de Ciclismo de Pista - Elite 2015, que está sendo realizado no Velódromo municipal de Maringá (PR). Depois de uma competição intensa, com mudanças na classificação geral a cada prova e um final impressionante, Robson Ribeiro (Memorial/Santos/FUPES) celebrou - e muito - o título de campeão brasileiro conquistado neste sábado (1). 
Thiago Nardin (São Francisco Saúde/Gold Meat/SME Ribeirão), que integrou a seleção brasileira no Pan de Toronto, chegou na pista motivado após terminar a sexta-feira (31) na liderança da prova, mas Franklin Martins (Team Osasco) mostrou que estava vivo na disputa e vinha encostado no paulista. E quando o público e os demais participantes achavam que a prova estava praticamente definida, foi ai que tudo mudou. Na última competição, Prova Por Pontos, Thiago Nardin abandonou, Franklin Martins não fez uma excelente corrida e 
Robson Ribeiro aproveitou para desbancar os favoritos, assumindo a liderança na raça, somando 245 pontos. A prata ficou com Glauber Nascimento (Green/Piracicaba), com 208 pontos, e o bronze com Flávio Cardoso (Carrefour/São José dos Campos), 207 pontos, seguido por Franklin, quarto colocado com 205 pontos. 
"É uma prova difícil, intensa, sabia que ia ser muito forte afinal estamos aqui competindo com os melhores do nosso país. Mas minha equipe ajudou muito na prova. Nosso técnico está em Toronto com os atletas paralímpicos, não pode estar aqui hoje, mas tínhamos que estar aqui e fazendo nosso papel, sempre procurando ajudar nossos companheiros de equipe e deu tudo certo", contou Robson que com essa medalha de ouro alcançou a incrível soma de 25 títulos brasileiros na pista. 
Daniela LionçoCrédito: Thiago Lemos/CBC
Enquanto isso, no feminino, Daniela Lionço (Team Osasco), manteve o bom rendimento apresentado no primeiro dia e se firmou na ponta da classificação geral (233 pontos). Danilas Santos (Velo/Seme Rio Claro) conseguiu subir na tabela, ficando com o vice-campeonato (224 pontos), e Cristiane Pereira (Carrefour/São José dos Campos) fechou o pódio (213 pontos). 
"É uma prova bem complexa, você não pode gastar muito no começo, tem que economizar o tempo todo. É algo muito estratégico porque se vai um pouco mais além em uma prova, você acaba pagando na outra. O primeiro dia é sempre o mais sofrido, que tem de cara Scratch, uma prova longa, e em seguida a perseguição, que é rápida. Hoje consegui dar o meu melhor, felizmente na última prova, Prova Por Pontos, entrei bem segura porque é o meu forte. Tenho uma chegada mais longa, então aproveito isso para sair bem no contra-ataque, que foi o que fiz quando consegui dar uma volta no pelotão e acabou tudo dando certo", disse Daniela, que agradeceu muito o calor da torcida, que vem lotando o velódromo municipal. 
Muito foco e fôlego nas disputas do Scratch
Outra disputa que mexeu com os nervos da torcida pouco antes do final da Omnium foram as provas de Scratch. Com uma quilometragem alta (10km ou 40 voltas no feminino e 15km ou 60 voltas no masculino), permitindo muitos ataques e fugas, os ciclistas tiveram que trabalhar bastante a estratégia. No masculino, Robson Dias (Memorial/Santos) começava a dar indícios de que estava em uma noite iluminada e conquistou o bicampeonato na prova, com Douglas Ribeiro (São Francisco/Ribeirão Preto) em segundo lugar, e Joel Candido (Team Osasco) em terceiro.
Os paraciclistas também fizeram bonito na disputa. Após 30 voltas, Athos da Costa subiu ao pódio em primeiro lugar, seguido por André Luis Candido, que conquistou sua terceira prata no torneio, e Gilberto de Souza. 
Emoção de sobra nas provas de Contra-Relógio
Outra competição que levantou o público das arquibancadas foram as provas de Contra-Relógio. Com um nível muito parelho entre os competidores e poucas voltas para alcançar um bom resultado, o pódio foi definido nos detalhes. Nos 500m Contra-Relógio, Sumaia Ali (Associação Atlética Desportiva/São Bernardo do Campo) chegou embalada pela medalha conquistada na prova de Velocidade Individual no dia anterior e faturou seu segundo ouro cruzando a linha de chegada em 36s593. Alice Melo (Clube Maringaense de Ciclismo), Maira Barbosa (Memorial/Santos) e Ana Rafaela Kosak (ADI/Indaiatuba) disputaram roda a roda as outras duas medalhas. Na reta final acabou dando Alice (38s307), segunda, e Maira (38s863), terceira colocada, com Ana Rafaela muito próximo em quarto (38s882). 
Quem também repetiu o ouro no segundo dia consecutivo foi Kacio Freitas, no 1km Contra-Relógio masculino. O mineiro, que também venceu a prova de Velocidade Individual, conquistou seu segundo título na competição (1min05s430) superando Franklin Almeida (Team Osasco), prata com 1min06s299, e o companheiro de seleção brasileira Fernando Sikora, bronze com 1min06s575. 
O Campeonato Brasileiro de Ciclismo de Pista Elite termina na manhã deste domingo, 2 de julho, com a definição das provas de Keirin e Prova Por Pontos.
 
Classificação completa deste sábado (01/08): http://goo.gl/W8oM4x
 
ASSESSORIA DE IMPRENSACONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CICLISMO

Assessoria de Comunicação - CBC

Telefone: (61) 3585.1051 | (61) 9123.2218 
E-mail: imprensa@cbc.esp.br 
Curta a página da CBC no Facebook
Assista aos nossos vídeos no Youtube Canal Oficial da CBC

 


 

ÚLTIMAS NOTÍCIAS - pista

VER TODAS